Esse eu vi: Eu não sou um homem fácil

Olá pessoal,


Hoje vamos falar de um filme frances original da Netflix que esta sendo muito comentado : "Eu não sou um homem fácil."

Sinopse.: A história gira em torno de Damien (Vincent Elbaz), que um dia acorda em um mundo onde as mulheres e os homens inverteram os seus papéis na sociedade. O mundo mudou, agora são as mulheres que têm poder sobre os homens. Uma situação engraçada quando não somos avisados.








Vamos lá meu povo, já tem um tempo que ouço um  burburinho a respeito desse filme, mas não havia parado para ver nenhuma resenha nem em blog e nem em algum canal, parei para assistir apenas com a informação básica de que era muito bom e que contava a história de Damien um machão machista machoso (hahaha como sou engraçada #sqn) que sofre um pequeno acidente e passa para um mundo aonde as mulheres são soberanas e os homens é que são oprimidos.

Nos primeiros minutos do filme vemos um Damien com 5 anos de idade que passa por uma situação que a principio parece "justificar" o seu machismo, mas na verdade acho que quer demonstrar que a construção machista na sociedade começa muito cedo e é feito de forma tão bem feita que até as mulheres são transformadas em massa de manobra. 

Logo depois temos um Damien adulto e super machista, se gabando de suas peripécias sexuais, assediando mulheres na rua, as vendo mesmo como presa. 

É muito breve esse início , aonde eu quis proteger o Damien criança e matar o Damien adulto e ele sofre o pequeno acidente. 

No começo parece absurdo , mas é incrível como ao inverter os papéis fica gritante as coisas que as mulheres passam e que são ridículas, mas que por já terem se tornado um paradigma na maioria das vezes não vemos.(Estamos nos desconstruindo,mas ainda é um processo.)

Temos os homens sendo objetificados como as mulheres são, a princípio o próprio Damien demonstra achar graça, mas ao longo do filme vai ficando tenso,pois parece fácil ser objetificado, parece simples, parece que gostamos, mas  é uma merda quando somos vistas apenas pela nossa aparência. 

O filme demonstra várias situações que nós passamos : ser questionada pela nossa sexualidade se nos impomos, sexo egoísta, chamar nossas posições mais firmes de ladainha e etc. 

É um filme para todos! Comecei a ver  sozinha e logo depois meu marido veio ver comigo e achei muito interessante nossas reações ao filme. Ele achou graça da cena que parece um estupro,mas eu fiquei tensa e confessei que é difícil achar graça de algo que vivemos com medo, ele ficou reflexivo. Após ver esse filme estamos discutindo mais sobre isso em casa, de forma a crescer. Não sou casada com um homem desconstruido, até pouco tempo nem eu era,melhor dizendo, ainda estou me desconstruindo tambem ,mas estamos melhorando.

Resumindo, esse filme mostra pelo o que o feminismo NÃO está lutando,de uma forma escrachada e até mesmo engraçada. Porem nenhuma sociedade aonde algum lado é superior da certo. A solução está no meio.

Eu não sou um homem fácil é um filme da Ariane Fert , Dirigido por Eleonore Pourriat. Eleonere também dirigiu o curta Maioria Oprimida, que pode ser vista no YouTube e traz de forma resumida a ideia desse filme. 

Espero que tenham gostado e que tirem um tempinho para ver esse filme maravilhoso.

Ate logo!^^