Minha menina

Olá pessoal,

Tenho reavaliado muito minha identidade como mulher  na forma de criar a minha filha. Vejo a mim com  obrigação de tentar ajuda-la sempre a tomar o conhecimento do poder que ela tem. De saber que como mulher ela pode tanto quanto qualquer homem e como pessoa pode tanto quanto qualquer um.

Nós somos muito cobrada por nossa aparência. Por exemplo, eu sempre amei os meus cachos, mas sofri muita pressão para alisa-los , tanto que cai nessa cilada de achar que o cabelo liso era mais prático e me ferrei, fiz um alisamento que serviu ao menos para ver que minha beleza não estava nos meus cabelos , estava dentro de mim ( é clichê ,mas é verdade).

Não é fácil desvincular essa cobrança pela aparência, me pego me corrigindo muitas vezes, pois sempre acabo chamando minha filha de princesa, linda, e com isso ela esta se tornando muito vaidosa, creio que pelo exemplo, pois eu também sou e pelo estimulo com elogios. Não que seja um problema elogiar a aparência, mas me policio para que ela saiba que não é ai que mora suas maiores qualidades ,mas sim na sua personalidade.


Porém, na questão de aparência , tenho uma coisa que me orgulho, como minha filha ama o próprio cabelo, os cabelinhos dela são cacheados  tipo 2a e 3a e ela ama, mesmo com amiguinhas com cabelos lisos.

Tento levar essa vaidade que esta surgindo de forma natural, um conhecimento da infância.Passa o batom torto, passa o esmalte de jeito dela . (Que logo tiro com medo de alergia.).

É sempre um aprendizado e nessa luta de criar um serumaninho eu também vou evoluindo repensando minhas opiniões e meus atos. Malu é uma menina livre, tem liberdade para viver sua vaidade,o que não acho que devo eliminar e a liberdade para viver sua criatividade, brincando de pé no chão, se descabelando e se sujando.

Espero que eu esteja no caminho certo.

Até logo.^^