30 de mai de 2018

Esse eu vi: Turma do peito

Olá pessoal,

Hoje vou falar de uma série do Netflix que assisti recentemente e venho dividir a minha opinião com vocês.

Sinopse :  Audrey , que é mãe novata, tenta conseguir o apoio que precisa do grupo de pais locais, do parceiro estressado pelo trabalho e até mesmo o traficante local.






"Tem que se livrar do que achava que seria."

 Quem é mãe, vai se identificar, quem é um pai alienado, bora ver para acordar e quem não tem filhos tem que ver, pois é ótima para ter uma noção do que é.

Na vida eu sou a Audrey, tive toda uma ideia romantizada da maternidade, quando enfim consegui ter a minha pequenina , meu Deus, ninguém me falou isso. Até as coisas tensas as pessoas tentam passar de uma forma legal.Como assim?

E continuei parecida com ela, quando vi o furacão aonde eu me meti e achei que poderia dar conta de tudo.Como assim de novo? Meu marido me ajudou ,ele foi responsável por cuidar de mim e da casa no meu resguardo (ainda é assim que chama?) Como ele teve que voltar a trabalhar eu não solicitei ajuda de uma amiga que havia me prometido ficar comigo antes mesmo de engravidar. (olha a rancorosa),na verdade meu erro foi não ter pedido ajuda e ninguém. Tinham amigas que estavam ali, mas também não ofereceram ajuda achando que estariam sendo invasivas, afinal eu era a mulher maravilha.

Logo que a Audrey entra no grupo de apoio ela passa a ideia da mãe mais atrapalhada do grupo, menos resolvida, acho que essa imagem é para representar como nos vemos no puerpério, parece que todas as mães são melhores que nós,todas acertam , menos nós #sqn. E no grupo de apoio a regra é :"Sem julgamento" É show a ideia, mas vamos vendo que o julgamento sempre há.


A serie passa muito o querer ser a mesma, demoramos a entender que é uma mudança de rotina, um ser que depende totalmente de você, mudança de hormônios,tudo isso sendo demonstrada em situações inusitadas, que seriam cômicas , se não fossem trágicas e bem próximas da realidade.

O caos é real!

Julguei muito a Ester, ela representa uma mãe que ama o trabalho e que tem um marido que prefere ficar em casa, então foi um tapa na minha cara. Eu achava surreal esse pai, não achava maravilhoso, achava irreal. E não entendia como ela não queria se envolver com a maternidade, sem observar que o trabalho dela era lutar por outras mulheres. (Lembrando que não há romantismo aqui)

Mostra a dificuldade em ser recolocada ao mercado de trabalho e como é menosprezada a mãe que resolve ficar em casa. Nunca esta bom,não é mesmo sociedade? 




A serie tem uma nuance no crescimento, começa uma mãe novata e termina uma mãe mais evoluída, aprendendo a lidar com tudo e sobrevivendo.

 Super recomendo! É uma comédia,mas chorei em alguns episódios, tamanha era identificação.

Até logo! ^^



12 comentários:

  1. Não conhecia, mas parece interessante. :)
    Beijinho

    www.trendsandfashionblog.pt

    ResponderExcluir
  2. Amei a resenha e fiquei com muita vontade de assistir! Obrigada por isso hahaha
    Um beijo,
    www.espelhodoreino.tk

    ResponderExcluir
  3. Interessante essa serie descrita por vc, relata bem algo q pode ocorrer em qualquer tipo de sociedade. Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Menina,
    eu não sei se entendi errado, mas achei muito bonitinha a série! E que temática atual! Tenho várias conhecidas que relatam a dificuldade em ser recolocada ao mercado de trabalho após o tempo de licença maternidade (algumas, inclusive, já foram perguntadas pelos entrevistadores se queriam ter outros filhos), ao mesmo tempo que há preconceito com a mãe em tempo integral.
    E aí, pesado para uma série de comédia, né?
    Vou conferir hj!

    ResponderExcluir
  5. É o segundo texto que leio no seu blog sobre o mesmo tema. E como você revelou a maternidade recente, entendo isso como um exemplo a ser seguido. A busca e compartilhamento de informações nesse campo faz valer o que disse Rui Barbosa: "multiplicai a família e tereis a pátria".

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Não sou muito fã de séries e confesso que sequer tinha ouvido falar nessa, mas parece bastante interessante para quem está tendo um neném pela primeira vez. Nessa época, qualquer conforto é bom, já que para julgar existem pessoas aos montes.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi July, tudo bem?

    Não conhecia essa série, mas, é claro que já fiquei com muita vontade de ver, pois parece ser simplesmente maravilhosa. Adoro filmes e séries neste estilo. E mesmo não sendo mãe, creio que esta realidade vá acrescentar bastante em minha vida.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. É o primeiro blogg que encontro oferendo sinopse de séries Netflix... Com certeza não é o único, mas é uma ideia atual que permite um estilo próprio por parte de quem escreve... Boa iniciativa, são tantas séries que nada melhor que um cantinho reservado pra gente descobrir mais sobre elas antes de apertar o play...

    ResponderExcluir
  9. ;D

    Não conhecia a série. Acho que não é o tipo de história que me atrai, mas não dispenso de ver qualquer dia desses!

    Ótima sexta!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  10. Confesso que é a primeira vez que eu ouço falar desta série,entretanto,a mesma aborda um tema bastante atual.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. nunca tinha ouvido falar mas vai cair como uma luva pra mim!!!
    Já vou anotar aqui pra ver com toda certeza antes da Beatriz nascer rs
    Bjus
    Taty
    Na Casa dos Abrantes
    Canal
    Instagram

    ResponderExcluir
  12. Simplesmente amei a sinopse,não conhecia essa serie ,mas já estou querendo assistir logo.

    ResponderExcluir

Olá!Espero que leiam antes de comentar.^^

Esse é um blog democratico,minha opinião esta explicita nos posts e não são para que concordem comigo.Esse espaço de comentário é para que coloquem sua opinião sincera.

Nunca rebato comentário,por mais que eu não concorde.(A não ser que falem da minha mãe ai o bicho pega.¬¬)

Fiquem a vontade!

Lingua Feminina © 2014. Todos os direitos reservados.
Layout criado por: Thami Sgalbiero.
Tecnologia do Blogger.