Resenha: O conde de Monte Cristo

Olá pessoal!

Hoje venho trazer para você uma resenha de um livro que achei maravilhoso. Eu tenho um amor chamado clássicos e esse roubou meu coração.

                                                                                     




Sinopse.:

O Conde de Monte Cristo (1844) é um clássico do gênero. Trata da transformação do jovem e destemido imediato de navio Edmund Dantès - encarcerado injustamente por 13 anos na ilha-prisão do Castelo de If por um conluio dos que lhe invejavam a sorte - no implacável Conde de Monte Cristo. É uma impressionante história de sofrimento, vingança e amor.

O romance constrói um suspense atrás do outro, numa sequência de peripécias de tirar o fôlego - traições, denúncias anônimas, tesouros fabulosos, envenenamentos e vinganças.
"Alexandre Dumas diverte como uma lanterna mágica. ... O amor conserva a decência, o fanatismo é alegre, os massacres fazem sorrir."
Gustave Flaubert


Pelo amor, pela inveja, pela reputação.


O jovem imediato de navio Edmund Dantès se vê envolvido em um complô aonde estavam envolvidos Fernand Mondego , movido pela paixão cega devotada pela noiva de Edmund,a Mercedes e  Danglars, que desejava o cargo  que o jovem ocuparia,porem muito mais movido pela inveja por ver um jovem tão bem visto a frente de seu superior.

Tudo poderia ser resolvido por Gérard de Villefort , substituto do procurador de Marselha, mas ao perceber que seu pai Noirtier de Villefort estava envolvido em uma tentativa de fazer o antigo Imperador Bonaparte retomar o poder. Villefort não poderia correr o risco de ter sua carreira manchada por seu pai. Edmund infelizmente havia realmente entregado uma carta do  Marechal Henri Gatien Bertrand, mas desconhecia seu conteúdo.Porem, foi o suficiente para ser abandonado na Fortaleza de If. 

Treze anos, e Edmund foi do desejo de morrer ao desejo de vingança,tendo como ajuda a voltar a lucidez um sábio tomado como louco , o Abade Faria. Após a morte do amigo, Edmund consegue fugir e começa a colocar em prática o seu plano de vingança. 

Eu fiquei apaixonada por esse livro, leria novamente com certeza , para perceber detalhes que talvez passou despercebido. Começando pelo contesto histórico, é uma aula , ver retratado o período Bonapartista. Há também o levantamento de questões políticas, mesmo o livro sendo de 1844, qualquer semelhança com a atualidade não é mera coincidência, incrível como certas coisas não mudam. É como dizem, para entender o nosso presente, temos que olhar para nosso passado. 

É impressionante também como o personagem Edmund foi construido, sua mudança durante todo livro, senti como se eu fosse o personagem, como se eu sentisse tudo o que ele sentia, tal era a riqueza de detalhes das suas expressões, dos seus sentimentos e pensamentos. E por mais que haja o Edmund movido pela dureza dos acontecimentos, percebemos sempre , lá no fundo o jovem Edmund.

O desenrolar do plano de vingança é muito bem feito e muito rico, não há lacunas, não há pontas soltas, não há "encheção de linguiça". Terminei o livro satisfeita, com minhas considerações, mas com todas as respostas.
Super recomendo a leitura. Espero que tenham gostado da resenha. Deixem seu comentário. :)

Até logo! ^^