19 de ago de 2016

O valor do salário

Esses dias me peguei avaliando o valor do meu salário.

Hoje eu estou em um emprego aonde ao mesmo tempo que ganho menos que o meu emprego anterior eu também ganho mais. Vou explicar.

Se eu for me prender apenas a valores, eu estou ganhando menos. Porém, o ambiente tranquilo, o fato de eu conseguir chegar cedo em casa e com isso ficar mais tempo com minha família,o tratamento humanizado, com isso eu posso calcular que estou ganhando mais, bem mais. Digo isso pois , se hoje eu recebesse uma proposta para outro emprego, o valor para compensar o que tenho hoje teria que ser duas vezes mais do que ganho hoje e mesmo assim eu estaria saindo perdendo, pois não estaria feliz por completo.

Já fui mais abiciosa ,ja limitei as recompensas a benificios financeiro, mas hoje valorizo muito o que não é palpavel,porem muito mais precioso. O tempo.

Há meu amigo, você pode recuperar dinheiro, mas não consegue recuperar o tempo perdido, quem tem tempo é rico.

Lógico, que sou uma privilegiada, consegui organizar minhas despesas para me dar o luxo de ganhar menos e ficar no emprego que queria,sei que muitos não tem essa opção, mas espero que consigam e que quando conseguirem saibam a pedra preciosa que tem nas mãos.

O tempo com quem amamos, o tempo para nós, o tempo para viver.

Até logo ^^




16 de jul de 2016

Keep Calm

      Tenho que rever meu conceito de "Até logo". Três meses não me parece "logo". :)
Mas estou voltando a principio com um texto para tirar a ferrugem,depois de tanto tempo sem escrever e até mesmo sem estar muito conectada, com exceção do Facebook e raramente no Instagram.

Então...

Até logo! ^^ (Agora é serio)



11 de abr de 2016

Resenha: A vida é sua- Eduardo Moreira

Sinopse

A vida que vivemos é nossa e de mais ninguém, e transformá-la numa história feliz está ao alcance de todos. Essa é a ideia poderosa trabalhada neste livro por Eduardo Moreira, escritor, empresário e palestrante requisitadíssimo. Em 52 capítulos breves e acessíveis, ele mostra que o caminho mais certo para a infelicidade é abrir mão de si mesmo e de seus sonhos, e discorre sobre temas tão diversos como ansiedade, busca do prazer, sucesso, fracasso e riqueza. Com a clareza e a simplicidade que arrebatam grandes plateias nas palestras que faz por todo o Brasil, em A vida é sua, Eduardo Moreira ensina o poder cumulativo de AGIR e inspira as pessoas a construírem um caminho de verdadeira realização pessoal.

   Semana passada chegou em minha casa o livro " A vida é sua!" enviado pela Editora Alaude.

   Devido a experiência que tive ao ler "O encantador da montanha" do mesmo autor,interrompi minha leitura atual para iniciar essa.Pois imaginava que seria uma leitura agradavel e não me decepcionei.

   "A vida é sua!" não é um livro de auto-ajuda,mas um livro que abre nossa mente e nos mostra que a resposta para nossas maiores dúvidas e angustias estão dentro de nós.E nós acabamos sendo os maiores sabotadores de nossa felicidade.

   Com textos rápidos o autor não nos traz respostas,mas sim reflexões.

   Não digo que concordei com tudo o que li,porem,até isso foi interessante,ler uma opinião contrária e aceitar,afinal não somos iguais,nem sempre vamos concordar,mas o respeito a opinião alheia é fundamental.

   O autor mostra com as próprias experiências que ser feliz só depende de nós.Clichê? Pois é,mas então por qual motivo ainda colocamos tantos empecilhos para ela?

   Recomendo para quem gosta desse tipo de leitura.Aposto que não se decepcionarão.

Até logo! ^^

9 de mar de 2016

Resenha : A luz através da janela

Olá! A Internet voltou e  eu voltei também! :)

 Sinopse :
 A Segunda Guerra Mundial deixou muitos destroços e segredos familiares principalmente na família de Emilie, os De La Martinières.

Quando sua mãe faleceu, deixando o legado do château da família para ela, a única herdeira, Emilie fica devastada e quer vender tudo para que possa voltar à sua rotina comum de veterinária. Entretanto, Sebastian Carruthers aparece em sua vida para ajudá-la a cuidar de toda a documentação e a consola nos momentos mais difíceis.

Emilie se apaixona pela sua gentileza e decide se casar com ele. Assim, ela se muda para a casa do marido, Blackmoor Hall, em Yorkshire. Contudo, a vida que ela, ingenuamente, pensa estar começando bem, trará a ela muitas surpresas e revelações do presente e do passado de toda uma geração. 



Esse é um livro que ficara na minha memória afetiva para sempre, foi o primeiro livro que consegui ler depois que minha filha nasceu, ela estava com 2 meses e eu toda feliz por que tinha acabado de ler um livro que tinha começado quando estava grávida,mas não consegui terminar ,pois só tinha tempo no ônibus e só tinha sono no ônibus, retornei e leitura após um mês da Malu e consegui terminar, sempre lia com ela no colo enquanto ela dormia.

A principio achei que não gostaria da história, parecia parado,mas conforme fui me adiantando na leitura fui me apegando , de parado passei a achar uma leitura leve, retrata a Segunda Guerra,mas de uma forma menos pesada,talvez por não citar muito os campos de concentração (que é a parte da história da Segunda Guerra que me deixa mais tensa.)

Emilie, uma menina que apesar de buscar sua independência se mostra carente,após o falecimento de sua mãe, com quem não tinha um bom relacionamento, se vê sozinha para tomar conta de tudo do que fugiu, os bens de sua família.

No meio desse turbilhão ela conhece Sebastian Carruthers que tem uma estranha ligação com a familia de Emilie e a partir dai ela começa seguir uma linha que a faz conhecer melhor o passado de sua familia e a entender melhor o seu presente.

Essa foi uma resenha difícil de fazer,pois achei tão interessante que tenho medo de empolgar no texto e contar tudo.


                                                    foto que postei no Facebook assim que consegui terminar o livro. :)

Até logo! ^^



4 de fev de 2016

Camila,camila

Olá!

"E eu que tenho medo até do seu olhar
Mas o ódio cega e você não percebe
Mas o ódio cega"

Conheci uma história triste,uma história triste que esta se tornando a cada dia mais comum.Vazou o video intimo da Camila e seu namorado,ou melhor, ex namorado. Após o termino o video vazou, ele nega que foi ele,estranha coecidencia.

A mãe de Camila entrou em depressão, o pai de Camila não quer falar com ela, Camila teve que mudar de cidade ,pois é comparada a uma garota de programa.

Camila,Camila...

Ninguem percegue o namorado dela, qual o nome dele?Ninguem o compara com nada, ninguem nem sequer repudia o fato de supostamente ter vazado algo de sua intimidade .

Camila,Camila...

Tudo caiu sobre Camila, a culpa foi dela, pois confiou, afinal , confiar no namorado é algo errado? A falha é dela por confiar, a falha não é dele por ter quebrado essa confiança.

Não sou feminista, mas, que Mundo machista, onde o homem pode e a mulher não.Podemos melhorar nosso Mundo criando melhor nossos filhos, fazendo os meninos respeitarem mais e as meninas exigirem esse respeito.

Vamos acabar com a máxima :"Prendam suas cabritas que meu bode esta solto."

Mulheres e homens terem direitos iguais, ficar com a quantidade de pessoas que quiserem sem serem julgados diferentemente, poderem prover a casa independente de quem ganha mais e um não se achar melhor que o outro por isso ou achar que o ato de prover é obrigação de uma das partes, participar da vida dos filhos sem o fardo ficar pesado para um dos lados.

Igualdade.

Camila, Camila...

Que não haja mais Camilas, que essa Camila consiga superar totalmente, consiga confiar de novo. O erro não foi sua confiança, o erro é terem traído essa confiança.

Até logo!

22 de jan de 2016

Como vemos a vida

Ola!!!

"Tudo o que acontece de ruim na nossa vida é para melhorar."

Ouvi essa frase na novela que estreou na Globo recentemente e  me encantei. Primeiro pela beleza da frase e depois pelo positivismo que devemos ter para acreditar nela.

As vezes na nossa vida acontece tanta coisa, que acabamos nos lamentando sempre,"tudo da errado comigo!" e nem percebemos as coisas boas que estão acontecendo.

Sinto que estou ficando repetitiva nos posts, mas a maternidade me ensinou a ver como coisas pequenas se tornam lindas e como valorizamos cada segundo,pois tudo passa muito rápido.

Na perda valorizemos os que ficaram, na derrota valorizemos as pequenas vitórias.

Com o estresse do dia-a-dia é difícil mesmo viver isso, porem devemos tentar, pois vale a pena.
Aproveitemos a beleza do por do sol, o som da chuva no telhado, a risada sincera de uma criança.

Uma linda semana para vocês.

^^


15 de jan de 2016

Respeitar o seu jeito

Olá de novo!!!

Esses dias estava vendo o programa Bem Estar , que falava sobre os benefícios da dança.E quem estava se acabando de dançar? Fernando Rocha, o apresentador.

A primeira vista diríamos que o Fernando dança mal, mas ele põe tanta vontade ,tanta alegria, tanto gosto no que esta fazendo que da vontade de sair dançando também,e sem contar que ele participou do "Dança dos Famosos" e mandou bem.

 Me identifico muito com o Fernando, pois também tenho um jeito peculiar de dançar ,porem adooooro dançar, então sempre dancei, saia para dançar e não importava se quando me empolgava os meus próprios amigos riam, eu ria também e continuava dançando.

Cada pessoa tem o seu jeito de ser,entretanto, acabam se guiando pelo o que a sociedade espera dela. Confie no seu jeito! Lógico que isso não vale para tudo, tem certas situações e lugares que tem suas regras,mas na vida temos que nos guiar pelo que somos.

Gosta de dançar?Dance, gosta de cantar?Cante.

Se jogue na vida,pois ela é muito curta para ficarmos nos controlando com tudo.

Até logo! ^^







8 de jan de 2016

Calçar os sapatos alheios

Olá novamente!

Ontem encerramos as tradições de Natal com o Dia dos Santos Reis , e tiramos os enfeites de
Natal.Na verdade , eu sou a responsável por tudo isso, pois meu marido é agnóstico,mas as vezes se diz ateu,porem respeita minha religiosidade,e isso me ensinou a respeitar a falta de religiosidade dele.

Eu ainda ando envolvida pelo mundo materno e acho que isso durará um bom tempo, mais ou menos, para sempre. Por exemplo, para conseguir digitar esse post eu abri uma aba para passar Galinha Pitadinha para Malu assistir .

Esse envolvimento me faz refletir sobre muitas coisas, como sobre o Mundo que aguarda minha Malu e a Malu que estou formando para o Mundo.

Umas das coisas que mais tenho notado é a dificuldade do outro se colocar no lugar do outro. E me policio para evitar cometer esse erro, aprendi muito com meu marido, apesar de sua falta de crença, com ele é que aprendi a exercer tudo que ouvia em eventos e celebrações religiosas.

Um dia desses uma senhora que sentava ao meu lado no ônibus chamou minha atenção a uma mãe que descia com um bebê no colo : "Não leva nem uma sombrinha para a criança." Olhei para o céu e disse :"Mas esta um pouco nublado." e ela não falou mais nada. Me compadeci da mãe, pois vi o cuidado que ela teve para descer com o bebê do ônibus, vi também que ela carregava o bebê no colo, não tinha um canguru ou sling para ajudar,até por que essas coisas não são tão baratas e ainda levava uma bolsa de bebê ,que tinha um ziper com defeito e uma sacola pequena de mercado, como ela carregaria uma sombrinha? Me doeu,não o comentário, me doeu o fato de eu já ter feito um julgamento parecido em algum momento.

Meu marido tem uma frase :" Se cada um conseguisse se colocar no lugar do outro não haveria preconceito. "

Acredito nisso, tento mudar meus atos e principalmente quero que minha filha cresça com esse pensamento. O respeito ao outro, o se colocar no lugar, não fazer julgamentos olhando apenas uma versão da história.

Sou uma pessoa privilegiada ,mas não posso julgar a vida dos outros como se fossem tão privilegiados como eu. Tenho meus preconceitos, mas aprendi a ao menos não discriminar.

"Que possamos ser a mudança que queremos ver no Mundo."

Até logo!

^^


\
Lingua Feminina © 2014. Todos os direitos reservados.
Layout criado por: Thami Sgalbiero.
Tecnologia do Blogger.