29 de set de 2014

Esse eu assisti: A menina que roubava livros

Durante a Segunda Guerra Mundial, uma jovem garota chamada Liesel Meminger (Sophie Nélisse) sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ajudada por seu pai adotivo (Geoffrey Rush), ela aprende a ler e partilhar livros com seus amigos, incluindo um homem judeu (Ben Schnetzer) que vive na clandestinidade em sua casa. Enquanto não está lendo ou estudando, ela realiza algumas tarefas para a mãe (Emily Watson) e brinca com a amigo Rudy (Nico Liersch).


 



ATENÇÃO! QUEM NÃO LEU O LIVRO, ESSE POST CONTEM SPOILER, PARA FUGIR LEIA APENAS A RESENHA DO LIVRO.


Eu fiz uma resenha sobre o livro a “A menina que roubava livros” AQUI, fiquei apaixonada pelo livro,não parava de ler alguns trechos para meu marido e chorei rios no fim do livro.Logo após comprei o DVD e assisti assim que chegou em minhas mãos.



Antes de assistir qualquer filme que tenha sido uma adaptação de um livro eu recito o mantra : "O livro é o livro, o filme é o filme”. Lógico que isso só ameniza a situação para conseguir aproveitar o filme, pois em um momento ou outro vamos gritar. “Isso não tem no livro!!!”



Até que a adaptação de A menina que roubava livros foi bem próxima ao livro,foram retirados alguns elementos como os grupo que roubava frutas junto com Liesel e Rudy, mas isso tornaria o filme ainda mais longo. 

No livro eu imaginava a morte com voz feminina, o que me assustei quando ouvi a narração masculina no filme,mas isso é pessoal. :)



O que poderia ter ficado igual ao livro é a personalidade da esposa do prefeito, que não parecia tão abalada como descrita no livro e a da mãe adotiva de Liesel, Rosa Huberman, que até era dura como colocada no filme,mas não apenas dura, ela sabia ser boa, mas isso não mostrou muito no filme, com exceção de uma cena.


O enredo foi levado de uma maneira mais leve que o livro,talvez para a classificação não ser aumentada, as cena em que Hans e Liesel foram chicoteados ao se aproximarem e tentarem ajudar os judeus que estavam na passeata poderia ser mantida.


Fora a cena da passeata dos judeus,onde Liesel começa a procurar por Max, que não ficou muito clara, como assisti com meu marido ele demorou a entender o que estava acontecendo e na verdade eu só sabia por ter lido o livro.


De uma maneira geral, tirando observações de quem leu o livro, o filme foi sim muito bom.O final foi tão emocionante como no livro.


“Que tal um beijo, Saumensch?” 


Essa frase continuou sendo uma marca, meu marido até comentou :”Ele não desisti.” ^^

Se fosse dar uma pontuação ,eu daria 4 estrelas, mas isso por que li o livro.



Até logo!^^


 



4 comentários:

  1. Eu amo esse livro e chorei muito lendo

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Não assisti,mais ouvi ótimas criticas sobre ele!

    Páginas em Preto

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. July, tentei ler esse livro há alguns anos, mas não obtive sucesso. A leitura não fluiu, sabe? Acabei deixando de lado... Mas pretendo retomar algum dia.

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  4. Olá july, estou passando para conhecer o Linguagem Feminina e gostei muito, parabéns pelo lindo blog! Te convido a conhecer o meu também, ficarei muito feliz com sua visita! Já estou por aqui! Desejo um dia muito feliz! Bjos!

    ResponderExcluir

Olá!Espero que leiam antes de comentar.^^

Esse é um blog democratico,minha opinião esta explicita nos posts e não são para que concordem comigo.Esse espaço de comentário é para que coloquem sua opinião sincera.

Nunca rebato comentário,por mais que eu não concorde.(A não ser que falem da minha mãe ai o bicho pega.¬¬)

Fiquem a vontade!

Lingua Feminina © 2014. Todos os direitos reservados.
Layout criado por: Thami Sgalbiero.
Tecnologia do Blogger.