12 de out de 2013

Vida de moleque

Dia das crianças e comecei a lembrar da minha infância,que não foi perfeita, mas foi muito boa. Mas depois comecei a comparar a minha infância com a infância de hoje.

Tem um tempinho que não sou criança, e a mudança na educação dos pais e no comportamento das crianças comparado ao meu tempo é bem diferente.Lógico que algumas mantem os antigos ensinamentos,porem muitos mudaram,alguns para melhor e outros para pior.

Vejo mães que não podem ver nada de diferente que já vão comprando para o filho,as vezes o filho não tem nem idade para pedir e já estão crescendo sem  ter chance de sonhar com algo.

Vejo outras mães que se aprofundam em livros para melhor educar seus filhos e melhor estimula-los.

Quem esta certo e quem esta errado? Não sei, não é justo eu julgar.


Fico pensando como serão meus filhos, de acabar cometendo os mesmos erros que vejo por ai ou perceber que não importe o quanto eu me dedique meu filho não terá jeito.

No meu tempo(essa frase é um sinal de envelhecimento) as coisas eram mais rigidas, as vezes até demais,entretanto foi bom, sei que isso me ajudou a lidar com coisas difíceis da minha vida.

Sou da época que via Ratibum e estimulada pela Bia Bedran pegava um sapato e fingia que era um carro, por que na época não tinha como os pais comprarem um carrinho de brinquedo. Parece historia triste ,mas não é, pois eu olho para trás e lembro com tanta saudade de uma fase que era tão simples ser satisfeita.

As crianças de hoje tem coisas que muitos de nós não tivemos e isso pode ser bom ou ruim,conforme é aproveitado.

Mas o melhor é ver crianças sendo crianças e que certas coisas não mudam.Crianças são sempre simples.

Feliz Dia das Crianças!

Até logo!^^

13 comentários:

  1. Adoreeei! Falou tudo, haha. Feliz dia das crianças (atrasado)!

    xx,
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu também gostei muito do texto, alias na minha infância fui muito arteiro também.

    Publiquei meu livro, se puder dar uma passadinha lá no blog fiz uma matéria sobre. Segue o link abaixo:

    http://www.blogdojoseagenor.com.br/2013/10/livro-o-caminho-do-renascer-jose-agenor.html

    José Agenor

    ResponderExcluir
  3. Hum...adorei! Pois é, tem criança hoje em dia que está d++. Tem tudo na mão, é birrenta e os pais não dão uma boa educação, mas como você disse: Quem sou eu para julgar? Na minha época eram outros 500.
    Beijos!
    Paloma Viricio-Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  4. July, compreendo perfeitamente a sua angústia, pois sinto o mesmo.
    A minha infância também não foi há tanto tempo assim, mas muita coisa mudou. Fico feliz por ver que as coisas mudaram, porém triste por ver o direcionamento que certas tomaram.
    Leciono para a moçada do 7o, 8o e 9o anos e por vezes fico realmente assustada com coisas que vejo e ouço. Sem dúvidas, os pais têm uma parcela gigantesca de "culpa" sobre a postura do filho. Passar a mão na cabeça e dar tudo que a criança quer, não impondo limites é uma das coisas mais graves que observo.
    Que façamos a nossa parte com sabedoria.

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente a infancia de hoje não tem em nada a ver com a nossa que realmente foi aproveitada né .. beijos

    ResponderExcluir
  6. Adoro dia das crianças, todo mundo já foi um dia, né?
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Você exagerou um pouco né?kk Quando li a parte da velhice pensei que tinhas no minimo uns 40 anos kk Não acho que as coisas tenham mudado tanto em relação ao consumismo comparado a uns 20 anos atrás, eu tenho só 15 anos, mas quase todas pessoas que conheço na faixa dos 20 e poucos, 30 anos, a maioria tinha bastante brinquedos; Quando eu fazia trabalho voluntario arrecadei brinquedos pra doar pras crianças carentes no natal, e teve varias pessoas de mais de 30 anos que doaram vários brinquedos que guardavam da infância, e não eram sapatos não kk O consumismo sempre existiu, até na época da minha mãe, talvez quando minha vó era criança não tanto, porque ela morava pra fora, mas na capital creio que já existia sim. Não acho errado uma criança ter bastante brinquedos, eu tive, e nem por isso me tornei uma pessoa materialista, tanto que quando deixei de brincar doei todos para as crianças que não tinham como comprar, e até hoje quando tenho oportunidade sempre coloco na doação as coisas que não uso mais, por outro lado, conheço pessoas materialistas, egoístas e mesquinhas que não tinham quase nada; Quando eu era criança nunca fui daquelas que se joga no chão no meio da loja ou fica pedindo brinquedos, eu ganhava mesmo sem pedir, mas nunca deixei de respeitar minha família por causa disso, de fazer birra ou exigir algo, não, pelo contrario, nunca gostei que eles gastassem comigo, e até hoje em dia é assim, evito o máximo pedir dinheiro pra mãe, acho ridículo essas marmanjas que já tem idade pra trabalhar e ficam pegando dinheiro dos pais pra comprar suas coisas, quando são coisas que elas precisam, ok, mas muitas vezes são pra comprar coisas caras e que nem fazem falta; Resumindo, acho que uma coisa não tem nada haver com a outra, lógico que deve haver limites, mas não vejo problema em dar brinquedos pra criança ou satisfazer as vontades dela algumas vezes, acho ridículo pais que são mesquinhas com os filhos, outro dia vi uma mulher no supermercado comprando um monte de comida, bastante coisas caras, e o filho dela pediu um biscoito porque tava com fome, dá pra acreditar que a mulher negou? Fiquei com tanta raiva, porque a criança realmente tava com cara de quem tava com fome kk Já vi também mulheres que vivem comprando roupas caras, e a criança anda sempre com a mesma, muitas vezes encardidas e velhas. Os pais devem ser amigos dos filhos, ter limites sim, mas também não serem rígidos demais e não tratar os filhos como se estivessem dentro de um quartel, até porque não aceitam crianças no quartel kk Mas enfim, adorei o post, o texto em si ficou ótimo, bem escrito, apesar de eu discordar de algumas coisas.
    www.espacegirl.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, July.

    Eu vou imitar minha mãe. Lá em casa era tudo dosado. Mesmo quando ela podia comprar algo, ela dizia que só compraria em tal data e que se nós fizéssemos escândalo, ela não compraria. Assim aprendemos a ter, a não ter e a esperar para ter. Mas vou introduzir livros nos presentes, coisa que ela não fez. ;)

    Beijos,

    Isie.

    ResponderExcluir
  9. Olha, eu acho um absurdo mãe que da tablet pra criança, n deixa brincar na rua, n deixa brincar direito, fica correndo atrás com medo de se machucar o tempo todo.
    tem uma criança que eu conheço que o pai trás dormindo SEIS HRS da tarde, leva pra escola dormindo SEIS DA MANHÃ. se você chama pra uma festa dps da seis não dá, prq ela ja ta dormindo.
    ou seja, nem fica com a criança. Ai fim de semana se eles vao em alguma festa, tem q voltar antes da seis. Se a menina quiser brincar, a mãe fica atrás cuidando pra ela n machucar ¬¬
    aaaaaah fala sério. nem curte a criança ¬¬

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde e bom final de semana!!!
    Há muitos anos la nos tempos da brilhantina rsrsr fui criança....mas a dona Mamys era durona e hj agradeço por tudo que me ensinou, gostei daqui e voltei bjusssss
    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  11. Muito legal o post. Tambem tive uma infancia simples mas muito feliz :)
    boa semana
    ;*

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  12. Olá
    Parabéns pelo texto interessante:)

    Páginas em Preto

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Acho que independente do tempo que estamos o importante é a base familiar com uma boa educação, tão em falta hoje.
    Abraços.Sndra

    ResponderExcluir

Olá!Espero que leiam antes de comentar.^^

Esse é um blog democratico,minha opinião esta explicita nos posts e não são para que concordem comigo.Esse espaço de comentário é para que coloquem sua opinião sincera.

Nunca rebato comentário,por mais que eu não concorde.(A não ser que falem da minha mãe ai o bicho pega.¬¬)

Fiquem a vontade!

Lingua Feminina © 2014. Todos os direitos reservados.
Layout criado por: Thami Sgalbiero.
Tecnologia do Blogger.