12 de ago de 2013

Canto para minha morte



“Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida” (Raul Seixas)



Esta ai um tema que muita gente tem medo, a morte.



Mas o problema é que a morte é a única certeza dessa vida. Uma linha tão tênue tem a vida, onde não importa a idade, a cor, a nacionalidade ,a orientação sexual e etc. A morte não tem preconceito,ela vem para todos.



O que dói as vezes é a forma que essa morte vem , quando vem de uma tragédia , de uma violência , mas em alguns casos é um descanso.



A morte é um tema mórbido, mas não deveria ser.Pensar na morte deveria ser um estimulo para valorizar a vida.



Por exemplo no México eles comemoram o Dia dos mortos.

É um dos feriados mais festivos do México. Celebrado da noite de 31 de outubro até 2 de novembro (Dia de Finados), o evento reúne famílias e amigos em torno de seus antepassados.

Segundo a tradição popular, uma vez por ano os mortos ganham um alvará celestial para visitar os seus e são recebidos com o que mais gostavam em vida. No primeiro dia, também chamado de Dia dos Santos Inocentes, os visitantes são as crianças que já partiram. Depois, é a vez dos mortos adultos.

As famílias montam altares para recordar seus entes queridos já falecidos. Fotos são cercadas com os itens mais apreciados pelo homenageado. Vale tudo para agradar sua alma: comidas e bebidas favoritas, cigarros, brinquedos, utensílios de uso diário... Flores coloridas decoram e alegram o ambiente, em que não pode faltar a cempasúchitl, uma flor alaranjada clássica para a ocasião.
De modo simplificado, para essas culturas a morte significa antes a continuidade da vida. Faz parte do ciclo natural: viver, morrer, renascer.

E, já que é assim, os mexicanos ficam à vontade para brincar com a morte. Um ditado popular ensina: "La muerte está tan segura de alcanzarte, que te da toda una vida de ventaja” (a morte tem tanta certeza de que vai te pegar, que te dá uma vida inteira de vantagem). Autêntica celebração da vida, o Dia dos Mortos no México foi reconhecido em 2003 pela Unesco como Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade.
(fonte:Viaje aqui)

Que amemos a vida através da certeza dessa chegada, viver como se não houvesse amanhã.

Até logo!^^






3 comentários:

  1. Verdade amore eu tenho medo dessa unica certeza da vida... hehe :D beijoss

    ResponderExcluir
  2. Tenho que confessar que tenho medo sim...rs.

    Mas acho que com certeza os mexicanos lidam melhor com isso...

    Beijos da Kika/Blog Acessarte

    ResponderExcluir
  3. Querida,
    você está certíssima em relação a morte. Ela é realmente uma certeza, e não deviamos nos desesperar num velório, por exemplo. É claro, que é muito dificil. Mas se pensarmos bem, o velório é uma cerimônia. Ele deveria ser tratado como uma, lembrando os feitos da pessoa que ali está, suas qualidades, seus defeitos. Dizendo o que aprendeu com ele. Uma grande conversa. Só assim a pessoa não morre DENTRO de nós.

    ResponderExcluir

Olá!Espero que leiam antes de comentar.^^

Esse é um blog democratico,minha opinião esta explicita nos posts e não são para que concordem comigo.Esse espaço de comentário é para que coloquem sua opinião sincera.

Nunca rebato comentário,por mais que eu não concorde.(A não ser que falem da minha mãe ai o bicho pega.¬¬)

Fiquem a vontade!

Lingua Feminina © 2014. Todos os direitos reservados.
Layout criado por: Thami Sgalbiero.
Tecnologia do Blogger.